quarta-feira, 12 de maio de 2010

"O gayismo é pecado"

Quero deixar algumas palavras sobre este assunto. A homossexualidade pode ser pecado, segunda a interpretação bíblica de uns ou não sê-lo, segundo a de outros. O Alcorão terá de certeza algo a dizer. Outros livros sagrados também. O mundo poderá rotular esta prática como quiser. Mas ela é um facto. Não podemos fingir que não existe. E muito menos pensar em irradicá-la através da violência. Errado. A história prova que todas as tentativas de eliminar tendências ou características humanas, via violência, falharam. A título de exemplo, o Nazismo tentou eliminar os Judeus, mas mesmo com holocaustos ou genocídios, falharam. Os Judeus estão aí, e creio que são dos mais ricos (materialmente) neste planeta. É como se a natureza se recusasse e fizesse o "mal" voltar mais forte. As minorias também têm direito a um lugar debaixo do sol. A mãe natureza alimenta a todos. Nenhum homem manda nela. Alguns dizem que a homossexualidade é algo que se adopta levianamente, produto da moda ou influência do meio. Mas eu questiono-me, se é o meio que influencia, por que é que com tanta discriminação e condenação deste fenómeno, os homossexuais não se deixam influênciar e não mudam? Hum...o meio já não funciona na recíproca? No meu ver, de uma forma geral, o que para nós são séculos ou uma eternidade, para a natureza é apenas tempo, nem longo nem curto, apenas tempo. Antes das religiões e crenças, a moral instituída, existia o homem e as suas necessidades básicas. Os seus instintos. E o sexo é dos primeiros e mais incontroláveis. As diferentes formas de satisfação sexual sempre existiram, num universo variado delas, com os seus mistérios e complexidades, concensos e discensos. Será que conhecemos todas as particularidades do mundo animal e vegetal? Elas simplesmente existem. Nós descubrimos e damos nomes. Aprovamos ou condenamos, mas não conseguimos, simplemente, baní-los. A religião tentou. A civilização também. Mas hoje, com a crise religiosa e a afirmação do cifrão como a única lei que nos rege, deixamos aflorar cada vez mais a nossa essência primitiva, animal e até mesmo selvagem. Voltamos ao princípio, não importa quantos séculos depois. É a natureza. Sem tabus ou preconceitos. As coisas são como são.Enfim... Por isso defendo a igualdade de direitos e oportunidades para todos Homens. Não importa a raça, origem ou orientação sexual. Que a paz e o amor sejam em abundância para todos!

20 comentários:

  1. ee isso mesmo, cada um ee como ee!!!

    Isaac Jamal
    Nampula / Mozambique.

    ResponderEliminar
  2. Ilustre

    És contra ou a Favor da Homossexualidade ? O teu texto não mostra a tua posição em relação à prática Homossexual.

    Não constitui novidade que as pessoas gozam de liberdade de opção e todos os dias lutamos para que as pessoas sejam livres, mas Azagaia, qual é a tua posição ? Contra ou a favor ?

    Hugs
    Simango Sevene

    ResponderEliminar
  3. Its a sin, we have to understand that. Coz its not written in the Holy Bible that they was adam nd jonh, eve nd martha. This issue is damaging our childern and the society its self.
    I just cant stand gays. They suck.!!!!!

    ResponderEliminar
  4. será que quando uma maioria (aparente) tem uma mesma crença, ela está certa? liberdade, aquela que tanto buscamos e defendemos é exactamente isso, cada um agir de acordo com os seus princípios, os seus ideiais. do contrário, não somos livres. e quem se apega a preconceitos, com certeza não é livre, é escravo da sociedade, do que os oooutros acham certo ou pensam. se homossexualidade não rouba nem mata, porquê coondenar? não julgo as pessoas pela sua orientação sexual, raça, religiao, etc. sou a favor da felicidade do ser humano e que cada um a busque...

    ResponderEliminar
  5. E se o homossexualismo for pecado? O que fazemos com os pecadores? Se os religiosos (ou crentes, como alguns preferem) forem estritos, descobrirão que há pecados consentidos (a embriaguês, a fornicação, a mentira, a falta de amor, etc.) e há outros não tolerados (o homossexualismo é exemplo disso). Mas, segundo a Bíblia - no meu pobre conhecimento dela - , cabe a Deus julgar os 'pecadores'. Outro aspecto é que o nosso Estado é laico. Portanto, a Constituição é o livro sagrado de todos (crentes, descrentes, 'pecadores', 'não-pecadores', etc.). O que não entendo muito bem é como a Constituição tolera crenças que não toleram o diferente...

    ResponderEliminar
  6. Deixando a Bíblia (livro que admiro mas que, às vezes, detesto) de lado, pessoalmente ainda não tenho ideias formadas a respeito de muitas coisas (incluindo o homossexualimo). Na minha tentativa (às vezes, frustada) de ter ideias próprias, prefiro voltar à Natureza e o homossexualismo não está em conformidade com ela. Entretanto (eis a minha contradição!), não crucifico os homossexuais. Outro aspecto interessante para mim é a maneira diferenciada como vejo 'lésbicas' e 'gays'. Se tenho alguma aversão pelos homossexuais, a aversão pelos 'gays' é de 5, ao passo que a aversão pelas 'lésbicas' é de 2.5.

    PS: Se vires alguma contradição em mim, é normal. Pois, estou convencido de que o homem é intrinsicamente contraditório.

    ResponderEliminar
  7. Falando sério, concordo que haja coisas que devemos deixa-las acontecerem mesmo que sejam contra senso, moral e racional.

    porém, descordo que os deputados da AR sentem para liberalizar a prostituição, casamentos gay e ou lésbicas, o a borto, apoligamia etc!...

    É daí que ninguém deve julgar estas formas de ser do mesmo jeito que não podemos moraliza-las. peço o favor de não confundir justiça com anarquia a vida em sociedades Humanas é padronizada se não estamos na selva!

    ResponderEliminar
  8. Três secções da Bíblia são analisadas como podendo ter contexto homossexual, no entanto são vistos pela maior parte dos cristão como apenas textos referentes a grandes amizades.O que está em conformidade com a própria Bíblia que tem como doutrina principal o amor fraterno, em que não há a prática do sexo.
    [editar]Rute e Noemi
    Noemi era viúva com dois filhos. Rute é a viúva de um dos filhos de Noemi.
    "Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus; 17 Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada. Faça-me assim o SENHOR, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti."[12]
    O pensamento majoritário no cristianismo é que vendo que sendo Noemi velha, e, não tendo marido, iria sofrer muito naquela região inóspita por volta do ano 1000 A.C., pois, ela não tinha mas quem a protejesse, o qual era o papel do homem em tal época. A passagem acima indicaria apenas uma amizade muito forte entre Rute e Noemi, segundo a interpretação de trechos anteriores:
    "…Morreu Elimeleque, marido de Noemi; e ficou ela com seus dois filhos,os quais casaram com mulheres moabitas; era o nome de uma Orfa, e o nome da outra, Rute; e ficaram ali quase dez anos. Morreram também ambos, Malom e Quiliom, ficando, assim, a mulher desamparada de seus dois filhos e de seu marido. Então, se dispôs ela com as suas noras e voltou da terra de Moabe, porquanto, nesta, ouviu que o SENHOR se lembrara do seu povo, dando-lhe pão. Saiu, pois, ela com suas duas noras do lugar onde estivera; e, indo elas caminhando, de volta para a terra de Judá, disse-lhes Noemi: Ide, voltai cada uma à casa de sua mãe; e o SENHOR use convosco de benevolência, como vós usastes com os que morreram e comigo. O SENHOR vos dê que sejais felizes, cada uma em casa de seu marido. E beijou-as. Elas, porém, choraram em alta voz e lhe disseram: Não! Iremos contigo ao teu povo. Porém Noemi disse: Voltai, minhas filhas! Por que iríeis comigo? Tenho eu ainda no ventre filhos, para que vos sejam por maridos? Tornai, filhas minhas! Ide-vos embora, porque sou velha demais para ter marido. Ainda quando eu dissesse: tenho esperança ou ainda que esta noite tivesse marido e houvesse filhos, esperá-los-íeis até que viessem a ser grandes? Abster-vos-íeis de tomardes marido? Não, filhas minhas! Porque, por vossa causa, a mim me amarga o ter o SENHOR descarregado contra mim a sua mão. Então, de novo, choraram em voz alta; Orfa, com um beijo, se despediu de sua sogra, porém Rute se apegou a ela.…" (Livro de Rute verc. 3 ao 14)
    De acordo com a posição majoritária cristã essa parte comprova que elas não eram homosexuais, pois, a própria Noemi diz que, "seria amargoso" se absterem de maridos. E também, se assim fosse "Orfa" também teria que ser homossexual, afinal, a dor dela também foi grande ao se despedir de Noemi, Rute porém, não conseguiu deixar sua bondosa sogra sozinha. E, as várias citações do nome do Deus dos israelenses como Senhor, mostravam Noemi uma amante da lei, assim, amaria os mandamentos, inclusive os contrários a homossexualidade.

    ResponderEliminar
  9. David e Jónatas


    David e Jônatas, "La Somme le Roy", 1290. Detalhe de iluminura de manuscrito francês.
    Museu Britânico.
    Jónatas era o filho do Rei Saúl e primeiro na linha de sucessão. Mas Samuel indicou David para ser o próximo rei o que trouxe grande preocupação a Saúl:
    "a alma de Jónatas se ligou com a alma de David; e Jónatas o amou, como à sua própria alma"[13]
    "E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai. 3 E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma. 4 E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto."[14]
    (…)
    "E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais."[15]
    (…)
    "Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; quão amabilíssimo me eras! Mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres."[16]
    A posição majoritária no cristianismo aponta todos esses trexos se referindo a amizades muito fortes. 1. Jonatas tinha amado Davi, pois, sabia da sua vocação para com Deus. Na outra passagem mostra a sua fidelidade com a religião, e, o amor era pela expectativa de um grande rei que era profetizado, ou seja, a vitória e o ápice de Israel. 2. Beijar-se sempre foi um costume do oriente-médio, que, não expressa sexualidade de acordo com a aquela cultura desde os tempos mais remotos. 3. Davi, no caso, considerado segundo o coração de Deus, estava se referindo que, a amizade valia mais que a paixão. No caso, o "amor divino" é expresso através mas da amizade, e, Jonatas que era fiel, tinha preferido Davi a seu Pai, pois, Davi tinha sido escolhido por Deus logo era mais justo em carater. Desta forma o amor divino, a amizade, valem mais que a paixã

    ResponderEliminar
  10. Daniel e Aspenaz
    Aspenaz era o chefe dos eunucos de Nabucodonosor, Rei da Babilônia. Daniel era um dos eunucos (segundo algumas interpretações) com ascendência da casa de Israel[carece de fontes].
    "Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos"[17]
    A interpretação desta frase não é consensual: a versão inglesa de King James 1611, e na versão Webster 1833[18] em vez de "misericórdia" pode-se ler "amor carinhoso" (tender love) reforçando assim algo mais que uma relação hierárquica. Na versão Basic English são usadas as palavras como "sentimentos de carinho e compaixão" (kind feelings and pity). As palavras originais em hebraico podem ser traduzidas para "misericórdia" ou "clemência" reforçando este ponto de vista, assim como o fato de em mais nenhuma passagem Daniel demonstrar tal afeto por outra pessoa. No entanto Daniel e Aspenaz sendo ambos eunucos nunca poderiam consumar este amor físico.
    Por outro lado este texto aparece na sequência do pedido de Daniel a Aspenaz de não comer a comida que lhe estava destinada, uma vez que esta era oferecida aos idolos da Babilónia. Perante este pedido, e mediante a ordem do rei, Daniel conseguiu convencer Aspenaz uma vez que ganhou a confiança deste pelo seu porte. A análise do texto em hebraico, assim como a tradução dos setentas para o grego (septuaginta), apontam neste sentido[carece de fontes]. Por exemplo a tradução ARC, que é muito idêntica à maioria das traduções internacionais como American Standard Version, God's Word, entre outras traduções, apresentam qualquer coisa como: "Deus concedeu a Daniel misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos". Neste contexto o texto em causa não mostra que Daniel ou Aspenaz como homossexuais.

    ResponderEliminar
  11. Suponho que Judy queira, com a sua intervenção, dizer que há secções da Bíblia susceptíveis de serem interpretadas como estando a aprovar tacitamente o homossexualismo, mas que, na verdade, não estão. Essa suposição, correspondendo à verdade, diferencia-se do que o Mana Azagaia disse ("A homossexualidade pode [...] não [ser pecado], segundo a [interpretação] de outros"). Na verdade, não tinha imaginado que a Bíblia pudesse ser interpretada deste modo. A vertente (ou a interpretação) da Bíblia que conhecia é de repúdio veemente à prática da homossexualidade. Infelizmente não posso precisar a Bíblia, como fez Judy; mas algures no Génesis, quando se menciona Sodoma & Gomorra, e algures em Romanos, a prática da homossexualidade é repudiada. Ademais, segundo constatei, os que interpretam a Bíblia, livro que devia ser mais claro, comprometem-se a não ser contraditórios, ainda que encontrem uma contradição aparente.

    ResponderEliminar
  12. Uma provocação para o Mano Chacate: para mim, a prática da homossexualidade é um facto. Onde, nos casos a seguir, há anarquia: nos Estados onde a prática é legal ou nos Estados onde não o é?

    Vou retomar a ideia do Mano Aza - "As minorias também têm direito a um lugar debaixo do sol". Alguém disse, um dia, que, desde que se compartilharam direitos com os que não tinham - não necessariamente a minoria - , a luta não pára. 'Todos' os diferentes da 'mainstream society' reclamam "um lugar debaixo do sol". E não é razoável dar-lho? Não foi razoável, nos EUA, na RSA e noutros lugares, os 'negros' terem o mesmo direito que os dominadores? Qual é a visão do mundo deve ser usada para evitar-se anarquia? A dos cristãos, a dos budistas? A dos materialistas? A dos filósofos? ...

    ResponderEliminar
  13. Ainda na minha provocação (ao mesmo tempo sugerindo à escuta do Podcast da BBC WORLD SERVICE Documentaries, DocArchive: Coming Out Part 2), cito, da fonte supracitada, o seguinte: "In 1996 South Africa became the first country in the world to enshrine the rights of gays in a new constitution brought in by the governing African National Congress." e "[...] Rights of gays are the rights of everyone. Constantly we're extending the boundaries of freedom. It's not the job of the State to say who you can make love with, except when it's exploitation; that's a very private thing."

    ResponderEliminar
  14. Belo texto Azagaia. Gosto muito dos teus argumentos, simples e contundentes. Agora, fico desconcertado com a insistência que algumas pessoas têm em querer definir posição contrária ou a favor da homossexualidade. Eu não entendo o que isso significa. Como alguém pode ser a favor ou contra o desejo de outrem? Agora, como saber se as pessoas que têm desejo homossexual (segundo Freud, todos os seres humanos potencialmente) são contra ou a favor da heterossexualidade? Essa discussão é simplesmente patética, de quem pensa que o mundo se divide entre branco e preto. O mesmo argumento vale para o racismo. Agora, será que teremos a cara-de-pau de dizer se somos a favor ou contra os brancos ou os negros? O argumento é o mesmo... às vezes, para alguns, parece que falta neurônios ou vontade de reflexão.
    Abraços

    ResponderEliminar
  15. ...Nao ha muito a dizer...quem somos nos para julgar o proximo...o bicho homem, sempre egoista...e a querer mudar a lei da natureza mae!!!

    Nao sou contra nem a favor...aceito o homosexualismo e vou em frente...o resto depois ve-se...!!!

    E pior que gayismo e o racismo e o preconceito...isso sim devia ser levado a serio...nao que o gayismo nao seja algo serio...mas e algo que considero natural...ou normal!!!

    Abracos, Mano!!!

    Otta!!!

    ResponderEliminar
  16. Entao,
    Os gregos nos tempos antigos, nao se relacionavam com as mulheres, sexualmente, porque elas nao eram dignas de tal. Os homens apenas se relacionavam sexualmente entre si. Era coisa de Machos.
    A Biblia chegou e apagou o que nao lhe interessava.
    Sexo, tem varias formas de se manifestar. O amor tambem. Existem ambos, formas de exerce-los de forma muito LEVIANA e horrenda: sexo com criancas, violacao, tortura, zoofilia - sexo com animais, enfim.
    E vao condenar o acto sexual entre 2 pessoas do mesmo sexo?
    Nao se deve julgar, se nao queremos ser julgados. Todos temos direito a um lugar ao sol, como disseste.

    Adorei o blog. Cmpts
    Mingas Loforte

    ResponderEliminar
  17. Obrigado a todos pelas palavras. Vamos fazer do mundo, um lugar melhor para todos.

    ResponderEliminar
  18. E já agora Azagaia, para quando uma música falando da discriminação que os gays e lésbicas sofrem?

    ResponderEliminar
  19. Matar também faz parte da natureza humana, mas nem por isso, vamos defender o homicídio. E o estupro? Também está no rol da natureza humana, a busca por sexo. E aí? Vamos também liberar o estupro?

    Vai estudar primeiro.

    ResponderEliminar

Comentem, aumentem e alimentem este espaço.